Greensense: a cosmética natural e vegana portuguesa

Por Sandra Dias

Entrevistamos a fundadora da marca de cosmética natural Greensense. Que nos disse como quer inspirar as pessoas a optar por escolhas naturais e sustentáveis.

As preocupações com o planeta, com a saúde e bem-estar estão cada vez mais alinhadas e levam-nos a pensar melhor no que colocamos no nosso corpo sem prejuízo ambiental. Este foi um dos pontos de partida para Joana Lemos criar a Greensense. Uma marca de cosmética natural e vegana, nascida em Coimbra há dois anos. Na base de todos os produtos estão os ingredientes naturais, de origem biológica, vegetal e mineral que dispensam a utilização de água, e não são testados em animais.

Joana já foi professora mas continua a ensinar através da Greensense que é possível mudar o estilo de vida, em particular, as rotinas de higiene diária. À medida que nos tornamos mais conscientes do que ingerimos e colocamos na nossa pele, damos espaço para o desenvolvimento deste tipo de cosmética. Que não utiliza parabenos, derivados de petróleo, silicones artificiais e OGM’s

Naturalmente, para Joana, o desperdício e o packaging foram outros dois factores que mereceram especial atenção. As embalagens são por isso de papel reciclável e de origem sustentável (FSC). A Greensense é conhecida pela sua linha de amaciadores e champôs sólidos. Sendo a primeira marca nacional a produzir este tipo de champô especialmente para bebés e crianças. Mas quisemos saber mais sobre a marca e por isso entrevistamo-la (por email). Joana falou-nos da origem da marca e dos planos para o futuro da Greensense.

Toranjas, laranjas, limoes e limas
Photo: Brook Lark | Unsplash
Óleos de limpeza e desmaquilhante, de toranja e gerânio, Greensense
Óleos de limpeza e desmaquilhante, de toranja e gerânio, Greensense
Objetos de higiene diária
Photo: Diana Akhmetanova | Unsplash

Porque criou a Greensense? Qual foi a inspiração por detrás do projeto?
Posso dizer que a minha maior inspiração foi sem dúvida o meu filho. Durante vários anos procurei opções para a minha pele extremamente reativa e mais tarde para a pele atópica do meu Diogo e sentia que nunca ficava completamente satisfeita com os produtos que usava no meu dia-a-dia. Comecei então à procura de produtos que me dessem respostas eficazes mas que fossem ao mesmo tempo naturais e, como não encontrava o que queria, criei a Greensense. Foi esta motivação aliada à possibilidade de ajudar não só a mim mas outras pessoas que querem ter uma rotina mais saudável e reduzir o desperdício. Juntar o cuidado corporal e o cuidado do planeta.

De que forma é que a Greensense se distingue no mercado?
Sempre foi uma preocupação minha que a Greensense se destacasse pela qualidade dos produtos que oferece. É importante que as pessoas entendam que as alternativas ecológicas e naturais são eficazes. Por outro lado, também quero muito que sejamos uma marca completa, com uma gama vasta de produtos para todos e por isso os nossos champôs sólidos estão pensados para toda a família. Fomos a primeira marca portuguesa a lançar um champô certificado para bebés e crianças e quero muito alargar a variedade de produtos para criança ainda este ano.

Porquê vegana e cruelty free?
Acredito e defendo a liberdade e a vida de todos os seres vivos. Na prática, para além de não fazermos testes em animais, também não utilizamos matérias-primas de origem animal.

Quem são os vossos principais clientes?
É um cliente que procura produtos saudáveis, sustentáveis e com resultados reais. Temos uma gama para toda a família e somos procurados por um público muito diversificado mas com um interesse comum: cuidar de si e do planeta. Felizmente, cada vez mais pessoas escolhem produtos de cosmética natural, livres de químicos e de plásticos para o seu dia-a-dia. Acreditamos que este é cada vez menos um mercado de nicho, dada a procura diária crescente destes produtos.

Quais são as vossas maiores preocupações, ambiental, social e económica?
Mais do que nunca, as questões ambientais estão no topo da agenda da minha marca e acredito que todos devemos fazer a nossa parte, quer enquanto produtores, quer como consumidores. Os nossos produtos são formulados sem água e com ingredientes naturais e biodegradáveis. Não utilizamos plástico nas nossas embalagens, elas são de cartão reciclado e recicláveis. Optamos por ter uma linha de cosmética sólida porque sabemos que o desperdício é muitíssimo reduzido. Juntos fazemos a diferença todos os dias nos mais pequenos pormenores.

Qual é o maior desafio que a cosmética enfrenta atualmente?
A indústria cosmética está a trabalhar para se reinventar e ir ao encontro das novas exigências de um público que procura produtos desperdício zero, sustentáveis e biológicos. É uma inegável mudança de mentalidades que já se vem sentindo há algum tempo e está cada vez mais forte.

Que mudanças gostaria de ver acontecer na industria da beleza e bem-estar na sequência do coronavírus?
Gostaria de ver aumentar ainda mais a preocupação com a sustentabilidade, com o impacto dos produtos que não são biodegradáveis; queria assistir a uma redução efetiva da utilização das embalagens de plástico. E, claro, gostaria que estas preocupações se traduzissem em ações concretas da parte de todos, porque às vezes um preço mais baixo no imediato pode tornar-se uma fatura muito alta a longo prazo.

Óleo para Barba, com frankinsense e figo, Greensense
Óleo para Barba, com frankinsense e figo, Greensense
Photo: Katja Vogt | Unsplash
Photo: Katja Vogt | Unsplash
Kit de viagem, Greensense
Kit de viagem, Greensense

Como se poderá definir sustentabilidade num mundo pós pandemia?
A pandemia veio redefinir o mundo aos olhos de todos. Este tempo em que as vidas estiveram quase em pausa forçada e com tantas preocupações acrescidas e tantas restrições acabou também por vir obrigar-nos a tirar um pouco para pensarmos em nós e no que podemos fazer para nos melhorarmos. Temos visto crescer de uma forma geral a preocupação com o meio ambiente e com a pegada que cada pessoa deixa no planeta. Acho que estamos aos poucos a reeducar-nos no sentido de termos uma atitude mais altruísta com o próximo e com a casa em que todos habitamos.

O que espera de 2021?
Espero um ano cheio de conquistas para todos, mais feliz, menos pesado e cheio de surpresas novas da Greensense para o mercado mundial.

Quais são os vossos planos para o futuro?
Sempre acreditei, nos anos de trabalho com clientes nas empresas, que ouvir os nossos clientes é a chave para o sucesso. Temos como política escutar as suas necessidades, os seus problemas e a partir daí trabalharmos para desenvolver várias soluções e respostas aos pedidos que nos fazem. Tenho como objetivo para nós, em 2021, lançar 20 novos produtos e diversificar a nossa oferta. Já entrámos no mercado espanhol e ainda durante este ano estaremos presentes nos mercados norte americano e brasileiro.

Diga uma frase que melhor descreve a Greensense.
Trabalhamos com paixão para trazer às pessoas o melhor do planeta e para deixar ao planeta apenas o melhor de nós.

Algum comentário, pergunta ou feedback? Envie as suas sugestões para hello@terramotto.com Vamos gostar de saber o que tem para nos dizer.

Artigos Relacionados