Wiser Wash, a r-evolução da ganga

Por Sandra Dias

O programa de inovação responsável Tru-Blu by Pepe Jeans integrou a tecnologia do Wiser Wash. Quisemos saber mais sobre este processo visionário e falámos com o seu mentor e responsável, Kevin Youn. Uso consciente e controlado dos recursos naturais, inovação e a essência dos jeans são alguns dos temas desta entrevista. Onde Kevin Youn mostra que pode mudar o mundo para melhor, pelo menos, o da indústria das gangas.

Queeny Van der Zande e India Salvor Menuez | ©Pepe Jeans

O que é o Wiser Wash?

O Wiser Wash é uma inovação sustentável que substitui a tradicional lavagem das gangas, nociva para o ambiente. Que começa por remover a goma da ganga e, em seguida, o processo principal de descoloração da cor acontece. É aqui que o Wiser Wash se destaca mais, já que requer menos do que um copo de água (100 ml), e dispensa o uso de pedra-pomes, permanganato de potássio (agente oxidante) e lixívia. Neste processo, é feita a oxidação pelo ar juntamente com uma técnica especial patenteada de transferência de humidade para criar a aparência vintage. Após o processo de descoloração, as peças são lavadas e amaciadas. Além disso, na criação de ozono, certificamo-nos de que o oxigénio utilizado para gerar ozono é novamente transformado em oxigénio.

Quando e como é que a parceria entre a Wiser Wash e a Pepe Jeans se iniciou?

A Pepe Jeans procurava um método mais sustentável na fabricação e por volta de 2016 teve conhecimento da Tortoise Denim. Foi então que contactaram a Blue Lab de Amsterdão, uma das organizações sustentáveis ​​do sector das gangas, e através deles estabelecerem o contato com a equipa por trás da marca Tortoise Denim. Ao visitar as nossas instalações de Los Angeles, Fuat Gozacan (da Blue Lab) viu o potencial do processo Wiser Wash que a marca estava a usar. Com isso iniciámos um processo de negociações e discussões que duraram vários meses, sendo a parceria estabelecida através da incorporação da Wiser Wash em 2017. Desde então, a equipa de Amsterdão começou a planear com a Pepe Jeans uma colaboração para promover a sustentabilidade no sector das gangas.

Como vê a evolução da industria da moda e em particular a das gangas, considerando o seu grande impacto sobre o ambiente?

Vejo que a indústria da moda está atualmente a inclinar-se cada vez mais para uma direção ambientalmente mais consciente. A indústria das gangas está a reconhecer que os métodos tradicionais têm sido os maiores culpados pela poluição ambiental. Temos, contudo, que observar que as gangas são únicas como um sector, já que a sua beleza vem do processo da lavagem. É com esse processo que o caráter e a complexidade dos jeans são revelados. Enquanto as outras peças de vestuário na indústria da moda podem dispensar o processo de lavagem, pois são capazes de escolher inúmeras cores e materiais, a indústria dos jeans não pode. Essa restrição é o que gera criatividade, e criatividade na indústria. Já que acreditamos que a lavagem é o que dá vida às gangas, sabíamos que não podíamos simplesmente desistir disso. Tivemos que criar uma solução com base no parâmetro que nos é dado e isso faz parte da evolução positiva que as gangas estão a seguir. Além do mais, não podemos possivelmente manter a nossa qualidade de vida como seres humanos e esperar que a natureza floresça, a menos que aceitemos a nossa necessidade de mudar. Há indícios em todos os lugares dos danos que a fabricação da ganga causou por tantos anos. A escassez de água e a poluição são muito reais. A água é um recurso limitado que devemos definitivamente proteger, pois é vital para a existência de todos. Todos nós precisamos Wise Up (abrir os olhos) e, portanto, com Wiser Wash (lavagem com sabedoria), queremos ajudar a construir um Wiser World (mundo mais sábio), fazendo as coisas um pouco melhor, Wiser (com mais sabedoria) do que ontem em direção a um amanhã melhor.

India Salvor Menuez |©Pepe Jeans

A mãe natureza e a população em geral podem prosperar neste planeta harmoniosamente.

Acredita que a industria da moda vai conseguir cumprir os seus objectivos em direção a uma industria menos poluente e mais amiga do ambiente nos próximos 10 anos? O que será preciso?

Sim, acredito que isso é possível. Tenho que reconhecer que as normas são desafiantes e podem ser difíceis, mas vejo que todos os envolvidos nesse movimento têm o desejo de assumir isso para criar a mudança positiva que procuramos alcançar na indústria. Eu também estou ciente de que mudanças reais não acontecem da noite para o dia, mas todos os esforços feitos para atingir essa meta são muito úteis para diminuir os danos causados ​​pela indústria de vestuário em geral. Com as tecnologias e esforços que estão a ser feitos, a velocidade em que a mudança acontecerá definitivamente será mais rápida. Um bom exemplo foi um evento que a Selfridges fez alguns anos atrás, em que nós participamos, chamado “Material World”. Essa exposição mostra claramente que a moda está a caminhar em direção a uma maneira ambientalmente mais sustentável de fabricar. No que diz respeito à Wiser Wash, estamos no processo de desenvolvimento de nossa tecnologia e prevemos que em um ano e meio a dois anos vamos poder mostrar as nossas inovações para o uso da indústria. Estamos abertos a parceiros que queiram colaborar connosco na construção de um método de fabricação mais limpo, responsável e sustentável. Não tenho dúvidas de que essa visão aparentemente idealista de ter o foco da manufactura voltada para a sustentabilidade acontecerá no futuro. Acredito que somos inteligentes o suficiente para aprender com os nossos erros e apoiar a mudança, a mãe natureza e a população em geral podem prosperar neste planeta harmoniosamente.

As metas estabelecidas pela campanha Detox da Greenpeace, sobre a eliminação de químicos nocivos na industria da moda até 2020, estão a progredir mas o aquecimento global, as montanhas de lixo e a poluição associada, são outros grandes problemas. Porquê que é tão difícil para a industria da moda tornar-se totalmente limpa?

O ideal seria o objetivo da campanha Detox ser alcançado no próximo ano. No entanto, também estou ciente de que a mudança real não acontecerá tão depressa, mas cada esforço nessa direção e a esse objetivo é muito útil para diminuir os danos criados pela indústria de vestuário em geral. No entanto, não tenho dúvidas de que esse objetivo acontecerá no futuro. Acredito que somos inteligentes o suficiente para aprender com nossos erros e apoiar a mudança. A mãe natureza e a população em geral podem prosperar neste planeta harmoniosamente. Eu acredito que é importante equipar as pessoas com o conhecimento necessário para que elas tomem uma decisão mais sábia e informada. Quanto mais conhecimento tivermos sobre os efeitos prejudiciais dos nossos comportamentos no meio ambiente, maior responsabilidade teremos nas nossas decisões. Até mesmo os indivíduos com uma compreensão limitada de como as nossas atividades diárias impactam o meio ambiente, começam a dar um passo à frente e a fazer as mudanças necessárias para sustentar o nosso planeta. No final, as decisões dos consumidores afetarão as decisões de fabricação das empresas.

O que dificulta estes objectivos?

Embora sejam feitos muitos esforços para eliminar completamente os produtos químicos nocivos no processo de fabricação, as alternativas são poucas e exigem algum investimento para fazer mudanças no sistema tradicional. Para simplificar, é semelhante à forma como as pessoas tomam duche. As pessoas estão muito habituadas a usar uma certa quantidade de água de shampoo/sabonete. Não mudariam facilmente para um método diferente, especialmente se fosse necessário comprar algum tipo de equipamento para reduzir o consumo e água no duche.

Wilson Oryema | ©Pepe Jeans

Para si, qual é o recurso natural mais precioso na Terra?

Anteriormente acreditava que a água era o recurso mais precioso da Terra. A viver em Los Angeles, a escassez de água limpa era algo com que sempre fui confrontado. Isso provavelmente aconteceu também devido à minha ligação ao Wiser Wash e aos nossos esforços diretos para salvar esse recurso. No entanto, comecei a viajar mais e a ficar exposto a diferentes ambientes que me fizeram perceber o quanto somos afetados pela poluição do ar. Todos os desperdícios que estão presentes nos nossos recursos aquáticos (especialmente materiais não biodegradáveis ​​como plástico) e toda a poluição em geral. Essa compaixão e empatia levou-me a acreditar que devemos ver os nossos recursos cumulativamente. A Mãe Natureza não deve ser separada, deve ser considerada como um todo. Todos os recursos são importantes. Se um falhar, os outros falharão, eventualmente.

As reservas de água estão diminuir, casos como a enorme redução do Mar Aral são bons alarmes para a industria e o publico perceberem esta urgência?

Tenho conhecimento deste caso infeliz e é definitivamente um dos sinais do uso indevido dos nossos recursos naturais. Temos que sublinhar, no entanto, que existem sinais em todo o lado. Até a comida que consumimos atualmente, não é da mesma qualidade devido a condições pouco saudáveis dos animais e da vida selvagem. Mais uma vez, é sobre sermos bons administradores dos recursos disponíveis. A água é-nos dada pela Mãe Terra para ser usada sabiamente. Tal como uma mãe que amamenta o filho. Há alguns sacrifícios envolvidos, mas deve haver respeito e usado com moderação. Temos que monitorizar cuidadosamente as consequências das nossas ações. Devemos ser cuidadosos na forma como usamos os nossos recursos naturais.

Se uns jeans não forem de algodão, ainda podem ser considerados jeans? A matéria prima é fundamental ou o pigmento (índigo) também deve ser considerado nesta denominação?

Eu acredito que as gangas podem ser feitas de outros materiais para além do algodão e o tingimento a índigo também pode ser feito de diferentes maneiras. Sou um grande defensor da inovação responsável e isso requer pensar fora da caixa. As gangas são também sobre a lavagem e não apenas a matéria-prima e o pigmento. Acredito que aderir cegamente à tradição ou à maneira como as coisas sempre foram feitas é um estado de espírito muito perigoso. Todos devemos estar abertos a novas possibilidades, aprender com os nossos erros e adaptarmo-nos à mudança que é inevitável. A definição das gangas pode evoluir no futuro e deve ser orientada para um processo de fabricação mais eficiente e sustentável.

Kevin Youn, India Salvor Menuez, Wilson Oryema e Queeny Van Der Zande | ©Pepe Jeans

O Kevin Youn é um dos 4 embaixadores da Pepe Jeans x Wiser Wash, qual é o seu maior apelo aos consumidores de ganga que ainda não despertaram para a importância de uma industria que respeita mais a natureza?

Enquanto crescia, via as coisas a preto e branco (certo e errado). No entanto, no contacto com diferentes culturas e pessoas, percebi que há coisas que não devem ser estritamente consideradas certas ou erradas. As pessoas têm diferentes razões que as levam a ter uma certa mentalidade e, embora eu possa não concordar com elas, ainda assim prefiro respeita-las como pessoas, sem comprometer minha própria posição. Acredito que cuidar do nosso ambiente é algo que é universal, pois isso é algo que pode afetar pessoalmente cada indivíduo. Haverá um tempo em que não podemos mais negligenciar os efeitos nocivos que a poluição está a causar ao meio ambiente. Se nos preocupamos com a nossa saúde e com as gerações futuras, devemos agir com urgência. A mudança deve ser sobre o que os consumidores, eventualmente, preferem e espero que escolham produtos mais sábios e menos prejudiciais. Para resumir, o nosso alerta é o consumidor seja “Wise Up.Wear Wiser.” (Vista-se sabiamente)

Qual é o seu motto?

Seja positivo. Seja mais sábio. Ame (Escandalosamente) Mais.

Artigos Relacionados